Projetos / Linhas de atuação

Programa de Prevenção à Violência Intrafamiliar e de Gênero

O Programa de Prevenção à Violência Intrafamiliar e de Gênero tem como objetivo a transformação da cultura patriarcal e o alcance da equidade de direitos entre os sexos e as gerações. Busca contribuir para a prevenção das situações de violência ocorridas nas relações familiares e para a elaboração e implementação de políticas públicas relacionadas ao tema, desenvolvendo cinco tipos de ações:

1. Prover práticas de atenção aos envolvidos nas situações de violência;

2. Oferecer capacitações para multiplicadores dessas práticas de atenção;

3. Realizar eventos de sensibilização junto à população em geral e junto a profissionais das áreas de saúde, educação, assistência social, segurança pública e justiça;

4. Executar atividades de pesquisa e elaborar informações sobre a temática, e

5. Buscar articulação com outras instituições e entidades no sentido de pensar e propor formulações de políticas públicas sobre o tema.

 

Fazem parte deste programa os projetos:

Paz em casa, paz no mundo

Formada por instituições e pessoas físicas – atua como movimento social com o objetivo de enfrentar a prática dos castigos físicos e humilhantes e estimular uma relação familiar respeitosa que garanta o direito das crianças à integridade física e psicológica e a seu pleno desenvolvimento como ser humano e como cidadão. A Rede atualmente conta com aproximadamente 300 membros entre pessoas físicas e jurídicas e um grupo gestor, que é responsável por desenvolver e coordenar a implementação das estratégias de ação da Rede.

Missão

Contribuir para o fim da prática dos castigos físicos e humilhantes à criança e ao adolescente seja no meio familiar, escolar ou comunitário.

Objetivos específicos

- Atualizar o marco jurídico brasileiro aos marco internacionais para a proibição dos castigos físicos.
– Estabelecer bases para uma campanha de longo prazo por meio de parcerias estabelecidas com instituições dos setores governamentais, organizações da sociedade civil e setor privado;
– Influenciar a opinião pública por meio de campanhas permanentes e programas direcionados para pais e cuidadores, com foco na educação não violenta infantil baseada no diálogo, na compreensão e no afeto;
– Influenciar a elaboração de políticas públicas e normas legais que protejam integralmente os direitos de crianças e adolescentes;
– Promover a participação de crianças e adolescentes nas ações da Rede;
– Chamar a atenção de órgãos governamentais para a necessidade de criar, ou melhorar as bases formais e informais de apoio às famílias de modo que possam exercer com qualidade a educação e cuidados de seus filhos.

Linhas de ação

- Mobilização social
Contribuir para o fortalecimento de um movimento nacional pelo enfrentamento à prática dos castigos físicos e humilhantes;

- Incidência Política Influenciar a elaboração de programas de governo e elaborar uma estratégia política para promover a reforma legal e, consequentemente, o reconhecimento de que os castigos físicos e o tratamento humilhante são violências contra as crianças.

- Pedagogia Social Formar e capacitar segmentos e atores sociais;

- Promoção social Desenvolvimento e promoção de Campanhas de sensibilização e informação.

Estreitando Laços

Formada por instituições e pessoas físicas – atua como movimento social com o objetivo de enfrentar a prática dos castigos físicos e humilhantes e estimular uma relação familiar respeitosa que garanta o direito das crianças à integridade física e psicológica e a seu pleno desenvolvimento como ser humano e como cidadão. A Rede atualmente conta com aproximadamente 300 membros entre pessoas físicas e jurídicas e um grupo gestor, que é responsável por desenvolver e coordenar a implementação das estratégias de ação da Rede.

Missão

Contribuir para o fim da prática dos castigos físicos e humilhantes à criança e ao adolescente seja no meio familiar, escolar ou comunitário.

Objetivos específicos

- Atualizar o marco jurídico brasileiro aos marco internacionais para a proibição dos castigos físicos.
– Estabelecer bases para uma campanha de longo prazo por meio de parcerias estabelecidas com instituições dos setores governamentais, organizações da sociedade civil e setor privado;
– Influenciar a opinião pública por meio de campanhas permanentes e programas direcionados para pais e cuidadores, com foco na educação não violenta infantil baseada no diálogo, na compreensão e no afeto;
– Influenciar a elaboração de políticas públicas e normas legais que protejam integralmente os direitos de crianças e adolescentes;
– Promover a participação de crianças e adolescentes nas ações da Rede;
– Chamar a atenção de órgãos governamentais para a necessidade de criar, ou melhorar as bases formais e informais de apoio às famílias de modo que possam exercer com qualidade a educação e cuidados de seus filhos.

Linhas de ação

- Mobilização social
Contribuir para o fortalecimento de um movimento nacional pelo enfrentamento à prática dos castigos físicos e humilhantes;

- Incidência Política Influenciar a elaboração de programas de governo e elaborar uma estratégia política para promover a reforma legal e, consequentemente, o reconhecimento de que os castigos físicos e o tratamento humilhante são violências contra as crianças.

- Pedagogia Social Formar e capacitar segmentos e atores sociais;

- Promoção social Desenvolvimento e promoção de Campanhas de sensibilização e informação.

Justiça Restaurativa em casos de abuso sexual intrafamiliar de crianças e adolescentes

Formada por instituições e pessoas físicas – atua como movimento social com o objetivo de enfrentar a prática dos castigos físicos e humilhantes e estimular uma relação familiar respeitosa que garanta o direito das crianças à integridade física e psicológica e a seu pleno desenvolvimento como ser humano e como cidadão. A Rede atualmente conta com aproximadamente 300 membros entre pessoas físicas e jurídicas e um grupo gestor, que é responsável por desenvolver e coordenar a implementação das estratégias de ação da Rede.

Missão

Contribuir para o fim da prática dos castigos físicos e humilhantes à criança e ao adolescente seja no meio familiar, escolar ou comunitário.

Objetivos específicos

- Atualizar o marco jurídico brasileiro aos marco internacionais para a proibição dos castigos físicos.
– Estabelecer bases para uma campanha de longo prazo por meio de parcerias estabelecidas com instituições dos setores governamentais, organizações da sociedade civil e setor privado;
– Influenciar a opinião pública por meio de campanhas permanentes e programas direcionados para pais e cuidadores, com foco na educação não violenta infantil baseada no diálogo, na compreensão e no afeto;
– Influenciar a elaboração de políticas públicas e normas legais que protejam integralmente os direitos de crianças e adolescentes;
– Promover a participação de crianças e adolescentes nas ações da Rede;
– Chamar a atenção de órgãos governamentais para a necessidade de criar, ou melhorar as bases formais e informais de apoio às famílias de modo que possam exercer com qualidade a educação e cuidados de seus filhos.

Linhas de ação

- Mobilização social
Contribuir para o fortalecimento de um movimento nacional pelo enfrentamento à prática dos castigos físicos e humilhantes;

- Incidência Política Influenciar a elaboração de programas de governo e elaborar uma estratégia política para promover a reforma legal e, consequentemente, o reconhecimento de que os castigos físicos e o tratamento humilhante são violências contra as crianças.

- Pedagogia Social Formar e capacitar segmentos e atores sociais;

- Promoção social Desenvolvimento e promoção de Campanhas de sensibilização e informação.

Campanha Permanente da Rede Não Bata, Eduque

Formada por instituições e pessoas físicas – atua como movimento social com o objetivo de enfrentar a prática dos castigos físicos e humilhantes e estimular uma relação familiar respeitosa que garanta o direito das crianças à integridade física e psicológica e a seu pleno desenvolvimento como ser humano e como cidadão. A Rede atualmente conta com aproximadamente 300 membros entre pessoas físicas e jurídicas e um grupo gestor, que é responsável por desenvolver e coordenar a implementação das estratégias de ação da Rede.

Missão

Contribuir para o fim da prática dos castigos físicos e humilhantes à criança e ao adolescente seja no meio familiar, escolar ou comunitário.

Objetivos específicos

- Atualizar o marco jurídico brasileiro aos marco internacionais para a proibição dos castigos físicos.
– Estabelecer bases para uma campanha de longo prazo por meio de parcerias estabelecidas com instituições dos setores governamentais, organizações da sociedade civil e setor privado;
– Influenciar a opinião pública por meio de campanhas permanentes e programas direcionados para pais e cuidadores, com foco na educação não violenta infantil baseada no diálogo, na compreensão e no afeto;
– Influenciar a elaboração de políticas públicas e normas legais que protejam integralmente os direitos de crianças e adolescentes;
– Promover a participação de crianças e adolescentes nas ações da Rede;
– Chamar a atenção de órgãos governamentais para a necessidade de criar, ou melhorar as bases formais e informais de apoio às famílias de modo que possam exercer com qualidade a educação e cuidados de seus filhos.

Linhas de ação

- Mobilização social
Contribuir para o fortalecimento de um movimento nacional pelo enfrentamento à prática dos castigos físicos e humilhantes;

- Incidência Política Influenciar a elaboração de programas de governo e elaborar uma estratégia política para promover a reforma legal e, consequentemente, o reconhecimento de que os castigos físicos e o tratamento humilhante são violências contra as crianças.

- Pedagogia Social Formar e capacitar segmentos e atores sociais;

- Promoção social Desenvolvimento e promoção de Campanhas de sensibilização e informação.

Programa de Desenvolvimento de Redes Sociais e Comunitárias

O Instituto Noos acredita que o fortalecimento na organização da sociedade civil e o incremento da participação cidadã são caminhos privilegiados para o desenvolvimento do capital humano e social. Este programa reúne projetos que promovem a articulação e o fortalecimento de redes sociais compostas por pessoas, entidades, comunidades, organizações governamentais e organizações da sociedade civil com o propósito de incrementar a participação cidadã e potencializar os recursos disponíveis para o atendimento das demandas da população.

Fazem parte deste programa os projetos:

123Alô! – A voz da criança e do adolescente

Formada por instituições e pessoas físicas – atua como movimento social com o objetivo de enfrentar a prática dos castigos físicos e humilhantes e estimular uma relação familiar respeitosa que garanta o direito das crianças à integridade física e psicológica e a seu pleno desenvolvimento como ser humano e como cidadão. A Rede atualmente conta com aproximadamente 300 membros entre pessoas físicas e jurídicas e um grupo gestor, que é responsável por desenvolver e coordenar a implementação das estratégias de ação da Rede.

Missão

Contribuir para o fim da prática dos castigos físicos e humilhantes à criança e ao adolescente seja no meio familiar, escolar ou comunitário.

Objetivos específicos

- Atualizar o marco jurídico brasileiro aos marco internacionais para a proibição dos castigos físicos.
– Estabelecer bases para uma campanha de longo prazo por meio de parcerias estabelecidas com instituições dos setores governamentais, organizações da sociedade civil e setor privado;
– Influenciar a opinião pública por meio de campanhas permanentes e programas direcionados para pais e cuidadores, com foco na educação não violenta infantil baseada no diálogo, na compreensão e no afeto;
– Influenciar a elaboração de políticas públicas e normas legais que protejam integralmente os direitos de crianças e adolescentes;
– Promover a participação de crianças e adolescentes nas ações da Rede;
– Chamar a atenção de órgãos governamentais para a necessidade de criar, ou melhorar as bases formais e informais de apoio às famílias de modo que possam exercer com qualidade a educação e cuidados de seus filhos.

Linhas de ação

- Mobilização social
Contribuir para o fortalecimento de um movimento nacional pelo enfrentamento à prática dos castigos físicos e humilhantes;

- Incidência Política Influenciar a elaboração de programas de governo e elaborar uma estratégia política para promover a reforma legal e, consequentemente, o reconhecimento de que os castigos físicos e o tratamento humilhante são violências contra as crianças.

- Pedagogia Social Formar e capacitar segmentos e atores sociais;

- Promoção social Desenvolvimento e promoção de Campanhas de sensibilização e informação.

Rodas de Terapia Comunitária para a comunidade de Botafogo

Formada por instituições e pessoas físicas – atua como movimento social com o objetivo de enfrentar a prática dos castigos físicos e humilhantes e estimular uma relação familiar respeitosa que garanta o direito das crianças à integridade física e psicológica e a seu pleno desenvolvimento como ser humano e como cidadão. A Rede atualmente conta com aproximadamente 300 membros entre pessoas físicas e jurídicas e um grupo gestor, que é responsável por desenvolver e coordenar a implementação das estratégias de ação da Rede.

Missão

Contribuir para o fim da prática dos castigos físicos e humilhantes à criança e ao adolescente seja no meio familiar, escolar ou comunitário.

Objetivos específicos

- Atualizar o marco jurídico brasileiro aos marco internacionais para a proibição dos castigos físicos.
– Estabelecer bases para uma campanha de longo prazo por meio de parcerias estabelecidas com instituições dos setores governamentais, organizações da sociedade civil e setor privado;
– Influenciar a opinião pública por meio de campanhas permanentes e programas direcionados para pais e cuidadores, com foco na educação não violenta infantil baseada no diálogo, na compreensão e no afeto;
– Influenciar a elaboração de políticas públicas e normas legais que protejam integralmente os direitos de crianças e adolescentes;
– Promover a participação de crianças e adolescentes nas ações da Rede;
– Chamar a atenção de órgãos governamentais para a necessidade de criar, ou melhorar as bases formais e informais de apoio às famílias de modo que possam exercer com qualidade a educação e cuidados de seus filhos.

Linhas de ação

- Mobilização social
Contribuir para o fortalecimento de um movimento nacional pelo enfrentamento à prática dos castigos físicos e humilhantes;

- Incidência Política Influenciar a elaboração de programas de governo e elaborar uma estratégia política para promover a reforma legal e, consequentemente, o reconhecimento de que os castigos físicos e o tratamento humilhante são violências contra as crianças.

- Pedagogia Social Formar e capacitar segmentos e atores sociais;

- Promoção social Desenvolvimento e promoção de Campanhas de sensibilização e informação.