Mediação de conflitos


A mediação é um método consensual de resolução de conflitos, na qual um terceiro imparcial e independente – o mediador - auxilia as pessoas a entenderem seus reais conflitos, buscarem seus interesses e identificarem suas necessidades e valores, por intermédio de um diálogo que resultará na escolha das melhores e mais criativas soluções.

A mediação pode não substituir a justiça, mas é sabido que o enorme número de processos que lotam os tribunais faz com que cada um deles se prolongue por anos. A mediação possibilita resolver um conflito em alguns encontros, em um curto espaço de tempo. No Brasil, a partir de 2016, a mediação ganha maior destaque e visibilidade para o público em geral ao ser inserida no Novo Código de Processo Civil, configurando-se como nova possibilidade para resolver conflitos. A mediação atua nas relações de continuidade, ou seja, quando as pessoas se veem com regularidade, como as relações de ex-casal (parentalidade), pais e filhos, irmãos, famílias com idosos e nestas, a complexidade e seus cuidados.

Existem vários modelos de mediação. O Instituto Noos atua com a mediação transformativa, que tem como fundamentação a comunicação baseada em potencializar o protagonismo das pessoas envolvidas e o reconhecimento de si e do outro como parte do conflito. Esse modelo de mediação objetiva a transformação da relação entre as pessoas envolvidas no conflito, flexibilizando os posicionamentos adversariais e, o mais importante, as decisões tomadas são de responsabilidade de todas as pessoas envolvidas..

 
 
 

 

Porque escolhemos trabalhar com Mediação Transformativa?



A Mediação Transformativa tem como finalidade modificar as relações das pessoas envolvidas no conflito, buscando soluções satisfatórias para as questões trazidas por elas. Trabalha com foco determinado e delimita o problema a ser tratado. O mediador utiliza técnicas especificas para os envolvidos dialogarem, respeitarem o ponto de vista do outro sem fazer julgamento e, com isso ampliarem a compreensão da problemática.

Bush e Folger, teóricos que elaboraram o modelo transformativo, definem a mediação como um processo que permite que as pessoas em conflito ajam com maior grau de determinação e responsividade e explorem soluções satisfatórias para os impasses.

O acordo é uma possibilidade a ser encontrada, mas a ênfase proposta pela mediação transformativa é na mudança relacional. A mediação transformativa é um dos estilos de mediação e costuma ser mais eficaz para situações de conflito em que as pessoas precisam manter uma relação continuada no tempo, como no caso de conflitos na família, assim como: ex-casais, filhos que cuidam de pais idosos, etc.

Com o intuito de melhorar o relacionamento entre as pessoas envolvidas e promover aprendizados para suas vidas, os mediadores ajudam as pessoas a ampliarem as histórias que contam na construção de novos significados para o conflito, promovem o acolhimento dos envolvidos que estão em relacionamentos desgastados, e buscam através do diálogo e da reflexão conjunta, possibilidades de compreensão para as situações que se encontram enrijecidas pelo tempo.
 
Colabore